quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Lá se vai 2009

Chegamos ao final de um ano cheio de polêmicas, surpresas, tristezas e alegrias. Um ano que trouxe muitas novidades e nos apresentou mais ferramentas da tecnologia. Abaixo, o que foi, para esse blogueiro, alguns dos fatos mais importantes de 2009:

- Confirmação dos blogs e twitter como ferramentas de comunicação, interação, trabalho e política. Nessa área, os dois destaques são a criação do Blog do Planalto, pelo Governo Federal, e a adesão de José Serra ao microblog. No âmbito internacional, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, Barack Obama foi um dos pioneiros no twitter. Aliás, a posse de Obama foi um fenômeno mundial e não poderia ficar de fora dessa lista.

- Falando em twitter (realmente, essa ferramenta caiu nas graças do mundo!), a Xuxa, a Sasha e os "meus jeitinhos" no twitter foram demais!

- Morte de personalidades que pareciam imortais: Michael Jackson, Dercy Gonçalves, Clodovil e Lombardi.

- Blecaute em diversos estados no Brasil.

- COP15 (eu esperava resultados bem melhores)

- O mico do Kanye West no VMA

- O mico da Vanusa tentando cantar o hino nacional

- Susan Boyle mostrando ao mundo como é que se canta!

- As polêmicas de Silvio Berlusconni (nem vou colocar links, pois é só digitar o nome dele no google e escolher um dos tantos problemas em que ele se mete)

- A gripe suína


No mundo dos esportes, considero esses os principais fatos de 2009:

- O acidente de Felipe Massa.

- A festa das massas: Corinthians campeão da Copa do Brasil e o Flamengo vencedor do Campeonato Brasileiro.

- Os recordes de César Cielo.

- O Santos campeão da Primeira Copa Libertadores feminina.

- Barcelona, finalmente, campeão mundial após uma temporada perfeita.

- A polêmica fraude de Nelsinho Piquet na Renault.

Teve muita coisa engraçada (como um bêbado falando como quebrou o dente), muita coisa bacana (como o vídeo com a coreografia de 20 mil fãs durante o show do Black Eyed Peas para Oprah).

Teve de tudo, para todos os gostos.

Para me divertir, visitei quase diariamente alguns sites que recomendo aqui:

Jacaré Banguela

Kibeloco

Dr. Pepper

Um Sábado Qualquer

Humorarte

Lembrando que escrevo sobre futebol no blog Futebol Na Mira. E também estou no Twitter!

Postei pouco esse ano. Verdade. Senti falta. Adoro escrever. Espero que em 2010 eu possa estar mais presente.

A todos que me acompanharam e me acompanham desde quando comecei a blogar, acho que em 2007, no antigo "Um lugar de expressão", desejo um 2010 de muitas realizações e felicidades!

Espero que em 2010 aconteçam algumas coisas:

- Que o Meio Ambiente seja realmente a preocupação de todos. Espero que os governantes façam obras e leis que protejam a natureza, limpem os rios e córregos e diminuam a poluição nas cidades. Espero que a população compreenda que nada do que os políticos fizerem terá valor se nós não fizermos nossa parte.

- Que as pessoas sejam mais compreensivas e tolerantes.

- Que os motoristas respeitem as leis, os outros motoristas e os pedestres.

- Que a Justiça seja justa, que os errados sejam punidos e os inocentes amparados.

- Que as pessoas riam mais. Faz bem para a saúde.

- Que as pessoas aprendam com as crianças e tenham tempo para se divertir.

- Que as pessoas valorizem a família e os amigos.

Feliz 2010!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

As verdades sobre a enchente

Mais uma vez, em 2009, a cidade de São Paulo parou por causa de uma chuva no oitava dia do mês, coincidentemente, uma terça-feira. No dia 8 de setembro veio a primeira dose do temporal. No dia 8 de dezembro veio a segunda parte.

O resultado: várias mortes, deslizamentos, casas soterradas, carros debaixo d'água, pessoas nadando para atravessar uma rua e muito lixando boiando pela cidade. O problema sempre está na cara das pessoas, mas elas insistem em sentar em cima do rabo para criticar o defeito dos outros e transferir a responsabilidade do problema.

Governo do Estado e Prefeitura podem fazer mais? Devem! Medidas são necessárias com urgência. É necessário parar de impermeabilizar o solo, limpar os rios, pensar em mais políticas públicas que priorizem o meio ambiente, reciclar mais lixo... Deve haver uma fiscalização maior nas moradias irregulares, fazer uma blitz, interditar esses imóveis e transferir as famílias para lugares adequados para morar. É preciso mais investimento em saneamento (coleta e tratamento de esgoto, por exemplo).

Mas, essas medidas não vão ter nenhum efeito se a população (não só de São Paulo, mas de todo o mundo) não parar de poluir a cidade. Quando se vê lixo boiando nas águas das enchentes, fica claro o desrespeito e falta de educação/preocupação que a população tem com a cidade.

Não há preocupação em não poluir. As pessoas jogam o lixo nas ruas e depois reclamam que a casa inundou. Oras, e esperava o quê? Ao invés de se revoltar com o prefeito, governador ou presidente, deveria é ficar com vergonha na cara por ser um dos responsáveis por isso. Só está colhendo o que plantou.

As autoridades falham, e muito, quando o assunto é limpeza da cidade. Basta ver o investimento no setor e comparar com qualquer outra área. É lamentável. Cuidar do Meio Ambiente, da limpeza da cidade, deveria ser prioridade de qualquer administração, mas até hoje não vi nenhum político tão preocupado com isso e, pior, nunca vi ninguém ganhar uma eleição propondo manter a cidade limpa. Boa parte da população ainda não vota em quem prioriza o desenvolvimento sustentável.

Da próxima vez que ocorrer uma enchente, lembre-se da garrafinha que você jogou no chão, ou do papel, da embalagem que você não jogou no lixo, mas sim na calçada, e tenha certeza: você também é responsável por essa tragédia.

Mas, não se esqueça: na próxima inundação, você pode estar no meio da água imunda.

Seja um cidadão. Exija seus direitos. Cobre dos políticos. Faça sua parte.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Eleição, eleição...

Ontem o governador de São Paulo, José Serra, deu uma longa entrevista à rádio Jovem Pan e, claro, falou sobre a pesquisa CNT/Sensus sobre as intenções de voto à presidência. Ele negou que tenha caído nas pesquisas e justificou que não se pode comparar estudos com cenários diferentes - há um ano, o deputado Ciro Gomes e a senadora Marina Silva ainda não apareciam nas pesquisas.

Veja só os números do estudo mais recente:

No primeiro cenário, tiveram votação expressiva José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT), Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV).

JS - 31,8%
DR - 21,7%
CG - 17,5%
MS - 5,9%

No segundo cenário, sem Ciro Gomes, a eleição ficaria assim:

JS - 40,5%
DR - 23,5%
MS - 8,1%

No terceiro cenário, o candidato do PSDB seria Aécio Neves e o resultado foi o seguinte:

CG - 25%
DR - 21,3%
AN - 14,7%
MS - 7,3%

Serra se manteve na liderança, mas, Dilma vem crescendo bastante, afinal, como disse o comentarista Fernando Rodrigues, da Jovem Pan, há um ano a ministra ainda tinha menos de 10% das votações, mas agora já tem mais  de 20% do eleitorado.

Quem também merece destaque é Ciro Gomes, desafeto do governador de São Paulo. Ciro, que ainda tem futuro indefinido na política, mostra que é uma boa opção para Lula derrotar novamente o PSDB. O deputado ainda não sabe se concorrerá à presidência ou ao Governo de São Paulo, mas uma coisa é certa: ele tem potencial para causar um grande estrago no ninho dos tucanos, principalmente na "casinha" de Serra.

Porém, as pesquisas servem mesmo é para avaliar o potencial dos candidatos, especular alianças e parcerias, mas não são garantia de sucesso do candidato "a" ou "b", principalmente quando os concorrentes ainda não definiram se concorrerão a determinado cargo, nesse caso, à presidência.

Se no ano passado a vitória de Serra em 2010 era algo certo, hoje o cenário já mudou. Isso mesmo antes de (oficialmente) começarem as campanhas eleitorais, já com os candidatos definidos.

E o PSDB que abra bem os olhos para não repetir os erros nas eleições de 2002 e 2006, quando nadou contra a maré e naufragou na disputa pela presidência sem oferecer muita resistência. Ao PT cabe transformar uma anônima em uma candidata poderosa, status que Dilma ainda está muito longe de conquistar.

E você, eleitor, não se deixe enganar com propagandas de obras maravilhosas, promessas de feitos mirabolantes e construções revolucionárias. Pesquise e não acredite em tudo o que eles prometem. Seja cidadão, vote consciente e cobre resultados!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Meio ambiente em pauta

Acredito que "nunca antes na história desse país" o Meio Ambiente foi tão lembrado.

Não importa o partido, estado, ou aliança partidária, todos estão falando sobre os cuidados com a natureza.

Antes tarde do que nunca. Apesar de, aparentemente, o tema ser destaque apenas pelo cunho eleitoral, espero que surjam bons resultados.

Mas, como no mundo político qualquer ação que parece ser positiva demora demais para começar a dar resultados, sugiro que você conheça esse site:

http://www.eco4planet.com/pt/

A iniciativa é boa e, se verdadeira, é uma grande ação! Como o acesso ao site não custa nada, acho válido ir acessando. Se a proposta for verdadeira, você pode estar plantando dezenas de árvores por mês.

Faça sua parte e não espere pelos frutos das árvores plantadas pelo Congresso. Muitas vezes, as frutas são podres e algumas nunca nascem.

Garanta o futuro do SEU planeta fazendo coisas simples: não jogando o lixo na rua você já ajuda demais! Se reciclar então, melhor ainda!

Apenas tome uma atitude.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Uma sociedade às avessas

O micro vestido continua dando "pano para a manga". Os debates em torno da garota que parou uma faculdade e foi destaque em diversos jornais e programas de TV e Rádio continuam dividindo opiniões.

Alguns acham que a garota exagerou e recebeu uma recompensa merecida pela escolha, alegando que não se usa aquele tipo de roupa em uma universidade. Outros acham que os manifestantes exageraram e estrapolaram qualquer limite moral, defendendo que a garota não fez nada de errado.

E haja espaço na mídia para isso. E haja argumento defendendo ou acusando ambas as partes.

Mas meu questionamento não é se ela está certa ou errada, ou se os que protestaram estavam corretos. Eu gostaria de saber mesmo é por que tanto barulho, tanta revolta por causa de um vestido, mas nenhuma manifestação contra os mensalões e outros atos muito piores do que uma roupa ousada ou inadequada.

Por que aquelas pessoas não protestam contra os estupradores, os traficantes, os assaltantes?

Por que esses que se manifestaram contra a garota não fazem uma "rebelião" contra os salários astronômicos dos parlamentares?

Por que aqueles que xingaram a estudante não protestam contra o descaso dos Governos com a Saúde, Educação, Meio Ambiente e Segurança?

Com certeza todas essas questões são muito mais importantes e fundamentais para a vida de qualquer cidadão do que o fato ocorrido na UNIBAN.

Mas, em uma sociedade conformada e fútil, são poucos que realmente se preocupam com a cidadania.

Seria cômico, se não fosse trágico, perguntar para uma pessoa em quais candidatos ela votou na última eleição e ela não ter uma resposta, mas, essa mesma pessoa argumentar com precisão e diversos motivos, por que votou no "fulano" e não no "ciclano" para que ele fosse eliminado do programa "X"...

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Violência na UNIBAN em São Paulo

Nesse finzinho de semana, São Paulo foi completamente dominada pela repercussão do tumulto que uma garota causou na unidade São Bernardo da UNIBAN.

Tudo aconteceu simplesmente por que ela foi com um vestido curto para a universidade. Os "machos" sedentos por sexo e desequilibrados mentalmente e "hormonalmente" ficaram insanos com o que viram. Muitas garotas, talvez com inveja, ou com excesso de maldade, debochavam e aumentavam o coro contra a estudante. A garota, temerosa, trancou-se em uma sala e chamou a Polícia, que a escoltou até chegar em casa. Caso contrário, acredito que ela não chegaria inteira (ou até viva) em casa.

Essa fato só mostra bem o quanto a sociedade precisa evoluir.

Não concordo que ela tenha ido com uma roupa adequada à universidade. Acho que com o vestido que ela usava, ela chamaria muita atenção e certamente ouviria cantadas (muitas mal-educadas). Porém, essa é a minha opinião, o que está longe de ser "A verdade" e, em hipótese nenhuma quero determinar qual a roupa ideal para ir estudar, pelo contrário, defendo que cada um se vista do jeito que goste. Simplesmente acredito que aquele tipo de roupa não combina com sala de aula, só isso.

Mas, isso e nenhum outro argumento justificam os xingamentos e a agressão psicológica aos quais a jovem foi submetida.

É lamentável ver uma multidão xingando a moça por isso. É falta de educação, de inteligência e de respeito pela opinião do próximo.

Se ela, ou qualquer outra pessoa do planeta, opta por se vestir até a cabeça ou então usar roupas que são minúsculas e provocantes, essa é uma escolha particular, individual, concordemos ou não. Cada um tem um gosto, um estilo. Não devemos humilhar as pessoas por que não concordamos com algo. Se haverá comentários, isso é opção de cada um. Comente com a amiga, com o irmão, com os pais. Critique, elogie, opine, mas com respeito à decisão do próximo.

É triste saber que as pessoas não podem ter um estilo, pois correm o risco de serem humilhadas a qualquer momento.

Às vezes, parece que respeitar o próximo é missão impossível para alguns vândalos e vândalas que não conseguem nem se controlar.

Quem sabe, um dia, não conseguiremos viver em uma sociedade que respeite as diferenças...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Chip nos carros

Hoje (28/10) ouvi uma entrevista na Rádio CBN com Ciro Vidal, presidente da Comissão de Trânsito da OAB, reclamando da implantação dos chips de identificação nos carros. Os chips trarão informações sobre licenciamento, multas, IPVA e Inspeção Veicular.

Para Vidal, é mais um modo do Estado controlar o cidadão.

Sinceramente, acho ótima essa idéia do Governo Federal. É mais fácil assim encontrar os veículos irregulares, motoristas que não pagam multas ou que tiveram os veículos reprovados na inspeção veicular. Acho uma boa iniciativa e vejo esse "controle" do cidadão como algo positivo, afinal, se ele estiver com as contas em dia, não haverá problemas.

E quem sabe, esse aparelho não ajude a localizar veículos roubados?

A minha dúvida é com relação à fiscalização, afinal, como será feita? Haverá radares que captam as informações do chip?

Mas, de qualquer modo, é uma boa iniciativa e acho válido que façam a experiência.

Se a reclamação é sobre o "controle sobre o cidadão", pergunto: para que serve o Governo, se não orientar os cidadãos, cuidar para que não haja problemas para a sociedade e impor limites que garantam a privacidade e o direito dos outros? Vejo nessa medida uma boa oportunidade para combater os "espertões", que não estão nem aí para as regras e leis.

Só não gostei muito da idéia de que o cidadão é quem terá que pagar pelo chip. O proprietário do veículo já tem que pagar IPVA, licenciamento, inspeção veicular e agora terá que bancar a implantação do equipamento? Bem que poderia haver um desconto em um desses impostos...

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Adote um vereador - fechamento de ruas

Em São Paulo, está em discussão o projeto de lei do vereador Antonio Carlos Rodrigues defendendo o fechamento de ruas, com cancelas ou outros obstáculos, para o tráfego de carros. As calçadas não deverão ter qualquer obstáculo, ficando livre para o tráfego de pedestres.

Consultado, o vereador Jamil Murad, que apóia a medida, emitiu a seguinte nota:

O Projeto de Lei 578/09 não é uma proposta nova. Unifica várias leis em uma só. O fechamento de vias é para veículos mas o trânsito de pedestres é livre, portanto, está garantido o direito de ir e vir. Esse fechamento, no entanto, é proibido quando a rua servir de passagem única a outros locais especialmente a áreas verdes de uso público áreas institucionais ou equipamentos públicos. O texto também impede o fechamento ao tráfego de veículos caso essa medida traga efeito negativo ao trânsito local. O PL foi aprovado por unanimidade não havendo votação nominal. É necessário estar alerta pra que a lei, caso seja sancionada, seja cumprida tal qual foi aprovada.

Jamil Murad , vereador em São Paulo pelo PCdoB

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Adote um vereador - 2

A primeira semana após ter adotado o vereador Jamil Murad foi mais para "estreitar os laços". E a Assessoria de Imprensa do vereador ajudou bastante.
Eficientemente, todos os e-mails foram respondidos, com todas as informações solicitadas, incluindo a agenda do vereador. Infelizmente os horários do meu serviço e dos compromissos do Jamil coincidiram, e pelo que parece, nessa semana não haverá a possibilidade de acompanhar de perto o trabalho do Jamil. Em todo o caso, assim que houver a oportunidade, esse encontro será realizado.
Por enquanto, há apenas uma questão pendente: a opinião do vereador sobre a proposta que discute a autorização para que moradores "fechem" as ruas com cancelas ou outros obstáculos. A justificativa para ainda não haver a resposta foi a agenda cheia de Murad na semana passada. Quando for enviada, a resposta dele será publicada aqui.
Abaixo, a agenda do vereador prevista para essa semana.
Segunda-feira, dia 28 de setembro
Manhã - encontro com eleitores no gabinete
Tarde - Ato em Memória aos 40 Anos do Assassinato do Companheiro Virgilio Gomes da Silva organizado pelo Grupo Tortura Nunca Mais e Sind. dos Químicos – Local; Sede do Sindicato – R. Tamadaré, 348 – Liberdade.
Noite – Jantar de confraternização do PCdoB
Terça-feira, 29 de setembro
Manhã – reunião gabinete
Tarde – reunião comissão de destinação pacaembu – entrega de relatório ao secretário de esportes Walter Feldman
15h Sessão plenária
Quarta -feira, 30 de setembro
Manhã - Reunião com sindicatos
Tarde – reunião da Comissão de Saúde da Câmara. Jamil é integrante.
14:30 – Festividade “Águas de São Paulo” – ao dia das tradições das raízes de matrizes africanas e nações do candomblé umbanda e seus segmentos” – Local: Vale do Anhangabaú/Lgo do Paissandu.
15h Sessão Plenária
Quinta-feira , 1 de outubro
Rodízio do carro
13:30 – Reunião Ordinária da Comissão de Direitos Humanos. Jamil é integrante
15:00 – Sessão Plenária.
Domingo, 4 de outubro
15h - Aniversário de Alcides Amazonas, coordenador geral do escritório da Agência Nacional do Petróleo em São Paulo. Local: CMTC Clube – Av. Cruzeiro do Sul, 808.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Adote um vereador

Dizem que cão que ladra não morde. Às vezes é verdade. Mas não levo muito a sério isso não. Acho que esse é um dos provérbios mais furados...

Aumentando meu nível crítico aos políticos, acabei de incluir minha participação na campanha Adote um vereador. Quero seguir de perto o que eles fazem com nosso dinheiro. Quero cobrá-los o que é nosso "de direito".

A campanha é uma iniciativa muito legal. Qualquer um pode participar. É simples. Você cria uma conta no site (clique aqui) e escolhe seu vereador. Não importa a cidade ou estado. O importante é participar e exercer a cidadania. A parte mais complicada é entender as ferramentas de edição, mas quem conhece um pouquinho da linguagem digital pega o jeito rápido.

Eu adotei o vereador Jamil Murad, do PC do B. Não foi a minha opção na eleição, mas o meu escolhido já foi adotado. O que importa mesmo é exercer algo que foi conquistado com muita luta: a cidadania.

Contarei aqui as novidades sobre o vereador adotado, mas você também pode acessar a minha página no site - basta clicar aqui.

Façam sua parte!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O circo brasileiro

O humor dos políticos é algo impressionante. Acho "bem engraçado" como eles conseguem falar tanta mentira e garantir que é verdade. E o pior, muitas vezes mentem usando uma verdade para isso.

Em São Paulo, ou no mundo, não sei se todos os lugares aderiram a isso, querem fazer o "Dia sem carro". Um projeto lindo, para diminuir a poluição causada pelos satânicos automóveis que todos os dias emitem toneladas de fumaça e contribuem para a destruição da camada de ozônio e dos nossos pulmões. Algo do tipo "maldito seja o inventor dos carros, destruidor da natureza!".

Parece até que o vilão do planeta é o sonho da maioria dos adolescentes, ansiosos para tirar a Carteira de Habilitação e poder dirigir a caranga do pai. Ou melhor: comprar o próprio carro! Essa máquina parece ser o causador de todos os problemas: poluição, trânsito caótico, congestionamentos quilométricos.

Mas o fato vai além dos males causados pelos automóveis (sim, eles causam muitos problemas para a sociedade, poluem demais mesmo e haja carro nas ruas). Mas a falta de qualidade do transporte público não inspira ninguém a deixar o automóvel em casa.

Os ônibus vão lotados e alguns atrasam. Alguns motoristas não sabem o que é limite de velocidade, outros não sabem para que usar uma buzina e alguns parecem que adoram ver o povo dançar: é um tal de freia, acelera, freia, acelera à toa e o povo vai dançando, tentando se segurar.

Metrô e trem são mais pontuais. E também mais cheios. Em horário de pico, em São Paulo, tem vagões nos quais é impossível entrar. E não é força de expressão. E o povo vai empurrando, empurrando, tem que caber mais gente... É um sufoco!

E o que o nossos políticos fazem? Sugerem deixar o carro em casa. Ah tá! "Para diminuir a poluição"! Aaaahhh tá!

Oras, diminuam os salários exorbitantes de vossos parlamentares e invistam mais no transporte público.

Eu, de verdade, adoraria poder ir de Metrô para o serviço. Ao invés de levar 40 minutos e gastar R$30 de combustível toda semana (sem contar a manutenção periódica), poderia gastar apenas R$23 e chegar ao trabalho em 20 minutos. Seria excelente. E olha que, para minha sorte, não preciso pagar pelo estacionamento - imagina a economia para quem paga R$10 todo dia para deixar o carro estacionado lá?

Mas não dá: para ir somente usando trem/metrô (desconsiderando totalmente ônibus ou carro), eu teria que caminhar por 40 min (casa até o Metrô e trem até o serviço) e pegar um metrô e um trem. Levaria cerca de 1h15, no mínimo.

Mas não, eles não estão nem aí. Do alto dos seus helicópteros, proíbem os ônibus fretados, aumentam a passagem do transporte público, diminuem os impostos para compra de automóveis, cortam verba da limpeza (Epa! cidade suja não coopera para poluir mais o meio ambiente?)... E ainda aparecem com a maior cara de pau falando em benefícios para o Meio Ambiente.

Não satisfeitos com as mentiras sobre o meio ambiente, usam a saúde para enganar mais. Criar uma "CSS" (uma tarifa muuuito parecida com a CPMF, para tirar uns centavinhos da sua conta bancária) para reverter verbas para a Saúde. Aham... E pouco depois lançam projeto para autorizar a criação de cargos para mais de 5000 (cinco mil) vereadores. Aham... E o nariz de palhaço, vai junto com o pacote?

Ô raça sem vergonha! Brincam com a nossa inteligência o tempo todo!

O Meio Ambiente não pode mais esperar por ações de verdade contra a poluição. Depender do serviço público de saúde é horrível.

Mas eles não ligam, continuam fingindo se importar com a saúde do povo e com a natureza. E vão enganando, contando mentiras, lorotas eleitorais, fazem promessas maravilhosas... Mas nõ afzem nada em prol do Meio Ambiente e da Saúde.

Até quando o povo vai assistir a isso passivamente? Até quando aceitarão ser uma platéia de ignorantes, desprezando a todo momento os direitos conquistados a poucos anos com muita luta? Até quando vão esquecer que a cidadania inclui agir, não apenas reclamar? Até quando as pessoas vão continuar jogando lixo nas ruas, desperdiçando água e espeando que "ELES", os poderosos políticos, resolvam o problema que nós mesmos causamos e, muitas vezes, contribuimos para piorar? Devemos agir, cobrar nossos direitos, cobrar ações desses caras-de-pau, mas precisamos também fazer a nossa parte. É bom aproveitarmos enquanto ainda temos tempo.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A polêmica Marginal

São Paulo parou no início dessa semana. Na terça-feira, choveu como não chovia há mais de 20 anos. Durante 11 horas, a cidade foi atingida por uma forte e aparentemente inesgotável chuva. E São Paulo parou. Quase 60 pontos de alagamento e o estopim de uma polêmica que teve início há alguns meses: a ampliação da Marginal Tietê.


Os críticos aproveitaram a pista alagada e imediatamente acionaram a metralhadora de críticas à obra:


- É um absurdo, um desperdício de dinheiro público (Gilberto Dimenstein da Rádio CBN e jornal Folha).

- Chegaram a dizer que a obra teve influência na enchente.



- Alguns acham que a melhor opção é destruir a mais importante via de São Paulo.

Mas o problema vai bem além da Marginal.

As reclamações sobra a tal da "permeabilidade" nunca esteve tão evidente. Muitos os ambientalistas, arquitetos, urbanistas e oposicionistas preocupados com a questão ambiental como "nunca antes na história desse país". Muitos querem parar a obra para ter mais tempo para debater o projeto. Mas, será que a paralisação do projeto é a melhor alternativa?

As Marginais são importantissímas para ligar três zonas da cidades - Sul, Oeste e Norte, além de fazer a ligação com rodovias para o Interior e Litoral do estado. Mas sofre com o excesso de veículos. Criar mais pistas é uma medida necessária. Mas não é a única e muito menos a que resolverá todos os problemas.

É necessário criar mais opções aos motoristas, orientar melhor o trânsito, fiscalizar e educar melhor os motoristas, além de investir pesado no transporte público, principalmente no trem e no Metrô. A expansão da malha metroviária, tão abandonada por anos, é mais do que urgente. É essencial.

A questão da permeabilidade, "nunca tão discutida como nessa semana", é importantíssima. Finalmente entenderam que não dá mais para desprezar o meio ambiente. São Paulo é uma cidade cimentada e precisa de mais opções para escoamento de água. Além disso, as pessoas precisam agir, não somente jogar o problema no colo do prefeito e do governador.

Todos os dias é possível ver na cidade inteira pessoas jogando o lixo nos córregos, deixando entulho nas calçadas... E mais: para qualquer lugar que se olhe na cidade, você consegue ver alguém jogando uma bituca de cigarro no chão, ou um papel de bala, uma garrafinha, um papelzinho... E fazem isso sem nem se importar para onde vai essa sujeira e qual a consequência desse CRIME.

Pois bem, na terça-feira os paulistanos viram e sentiram qual é a consequência da falta de educação, do desrespeito constante contra a natureza.

Para que tragédias como essa não ocorra novamente, algumas ações são necessárias:

- Educação: a medida mais simples e fácil de ser colocada em prática, além de ser a mais barata, pois não custa nada. Basta não jogar o lixo na rua. Simples. Leve uma sacolinha na bolsa/mochila e quando tiver terminado de beber o suco, por exemplo, guarde a garrafinha ali e a coloque em outro lixo quando chegar em casa, ou no serviço, na escola ou na faculdade. Se os serviços de limpeza da cidade já são questionáveis, com 10 milhões de "habitantes" sujando as vias a situação realmente fica complicada...

- Arborização: São Paulo precisa de mais árvores, mais canteiros. A Prefeitura doa sementes. Mas precisa também orientar sobre como cuidar de uma planta. Um incentivo como por exemplo um desconto no IPTU para casas com jardins poderia ajudar!

- Calçadas drenantes: eu gostei da idéia de que calçadas e canteiros tenha sistema de drenagem. Acredito que ajudaria bastante no escoamento da água das chuvas.

Se cada um fizer a sua parte, com certeza conseguiremos evitar muitas tragédias como a ocorrida na terça, em São Paulo.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O problema...

Lendo sobre o twitter (você já sabe que o Jornalista está no twitter né?), encontrei um belo exemplo de uma frase muito mal escrita (considerando-se que o autor não deseja a morte para os outros).

Você pode conferir a matéria na íntegra clicando aqui.

O trecho "estranhamente" escrito (se ainda não corrigiram) é esse aqui:



"O problema é que o ator, que faz tratamento de câncer no pâncreas, continua vivo".

Que frase é essa? O problema, então, é o ator estar vivo? Uma boa revisão cai bem em qualquer site... Sendo uma Revista Época então, a obrigação é ainda maior, afinal, há uma tradição e credibilidade em jogo.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Resposta - Saúde Pública

Há algum tempo postei uma crítica ao serviço público de saúde. Uma pessoa, em "anônimo", respondeu o seguinte.

" 1 comentários:
Anônimo disse...
Por um acaso seu pseudo-jornalista, deveria dar uma pequena olhada nas condições de trabalho destes profissionais, sem contar deste tão lixo de salario, ainda ter que aguentar pessoas como voçe falar "pagamos seu salario". Voçe sabe quanto custa uma consulta pelo SUS que e paga ao Hospital??? Um real e cinquenta centavos, alias que as vezes é pago ao hospital, até porque o sistema de cobrança do hospital inexiste. Então ao invés de critica-los, cobre dos seu governantes que falam uma coisa e na realidade acontece outra totalmente diferente.


10 de Agosto de 2009 02:29"

Pois bem. Vamos aos fatos.

1º Sou jornalista formado, diplomado, mesmo que tentem, pela (in)Justiça, retirar o valor do nosso diploma. Sigo à risca todos as exigências para ser um jornalista: vigiar o poder, tornar público o que é de interesse da sociedade, ser totalmente comprometido com a verdade, etc, etc, etc...

2º As condições de trabalho nos hospitais públicos são péssimas. Não há estrutura adequada, nem incentivos e equipamentos, além de uma remuneração precária e um enorme número de pacientes a serem examinados. Fato.

Mas tudo isso não justifica não atender dignamente a um paciente. O profissional está lá para examinar o paciente. Errar um diagnóstico é algo totalmente humano, todos nós erramos. Mas, uma coisa é errar, outra é ser negligente. Sentar na cadeira, nem olhar para a cara do paciente e dizer: "está tudo ok" é NEGLIGÊNCIA.

3º Somos nós, cidadãos, quem paga os salários dos servidores públicos. É o dinheiro dos nossos impostos que vão para as contas bancárias do funcionalismo público. Quando vamos à uma únidade pública de saúde, não vamos em busca de um favor ou de uma gentileza do médico. Vamos atrás do serviço ao qual nós temos direito e pagamos por isso.

4º Faço a minha parte cobrando e exigindo das autoridades políticas que exerçam sua profissão. O que posso fazer, sempre faço, buscando meus direitos. É inadmissível ver como os políticos "administram" as finanças. Porém, para que os políticos mudem e passem a gastar o dinheiro público investindo no setor público, é necessário muito mais do que uma ou duas pessoas cobrando isso. É muito mais do que a imprensa divulgar as falcatruas nos gabinetes e cobrar ética dos políticos. É necessário envolvimento de toda a sociedade.

E é por isso que tornei-me jornalista. Minha intenção é mostrar para todos a importância de ser cidadão. Não podemos nos conformar com os escândalos na política nem com esse "atendimento" nos funcionalismo público, independente do setor que seja.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Inédito

Inacreditável, mas verdadeiro: Ana Maria Braga foi ao hospital pois estava com dores. Minha nossa! É o apocalipse! Esqueça o churrasquinho e as partidas de futebol no leito aconchegante do seu hospital favorito.

Vejo que, em breve, os hospitais estarão lotados de pessoas com dores. Acredito que quando essa época chegar, será o fim do mundo.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

A piada do dia

Nosso cenário político não só é recheado de escândalos, mas também de boas piadas. Algo para equilibrar: ficamos revoltados com o mensalão, mas, dia sim dia não, sabemos de algo que nos tira pelo menos uma pontinha de risada.

Nossa última eleição foi um festival de candidatos ao título de mais "bizarro". Tivemos candidatos como a Lacraia, o Chupa Dedo, além de um verdadeiro Zoológico. Isso em contar nos mais famoosos: Clodovil, Serginho Malandro, Agnaldo Timóteo, Ovelha...

A cerca de um ano das novas eleições, já temos novos candidatos fortissímos.

Se depender do gosto público, ele já pode preparar a conta bancária, digo, a cadeira parlamentar. Kléber Bambam, vencedor de algum BBB, quer ser deputado. Agora sim eu vejo que aquele ditado é verdadeiro: quanto mais dinheiro temos, mais queremos ter.

Quem também quer ser uma milionária é a Mulher Melão. Se tudo termina em pizza no nosso circo político, nada melhor do que uma fruta para fechar o dia. Faz sentido.

Mas não para por aqui não. Com um olho em um futuro tranquilo, o "profexô" Luxemburgo, técnico hoje do Santos e amanhã do Palmeiras (ou vice-versa), já flerta com a possibilidade de trocar a estressante e instável profissão de técnico para tornar-se um político. Pelas polêmicas em que já se envolveu, tem um currículo forte para ser eleito.

Qual será a próxima piada? Vampeta para vereador?

terça-feira, 21 de julho de 2009

E o trânsito? Gosta de música?

A Prefeitura de São Paulo está irredútivel. Na próxima semana, entra em vigor o projeto de restrição aos fretados.

O secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, garantiu: o trânsito vai ficar melhor.

Quero só ver. Já tenho até um título pensado para comentar sobre o assunto e espero, sinceramente, não ter que usá-lo. Mas diante do que tenho escutado, acho que em breve vem o post comentando sobre a cidade parada... Prepare seu rádio, MP3, Ipod, celular que toca música. Escolha bem o repertório, por que tempo, provavelmente, não faltará para ouvir suas músicas preferidas.

Ah, e na Berrini, uma avenida que tem um congestionamento assustador nos horários de pico, também tem novidades: diminuição de vagas da zona azul.

Ou seja: proibem os fretados e diminuem as vagas para estacionar os carros.

Previsão: mais congestionamento, briga ferrenha por uma vaguinha, estacionamentos que cobram "os dois olhos" e ônibus superlotados (esse fato, na verdade, já existe há muito tempo... Só acho que vai piorar um pouquinho mais e os ônibus vão ficar só um pouquinho mais cheios - no espaço entre a cabeça e o teto acho que cabem umas 10 pessoas).

quinta-feira, 16 de julho de 2009

E a saúde?

Como são carentes os médicos do serviço público. Gostam tanto de nós, que nos fazem voltar ao consultório constantemente. Acredito que é por que pagamos em dia seus salários.

Em compensação, eles poderiam nos atender eficientemente, com dedicação e interesse em resolver nosso problema. Afinal, eles não estão fazendo um favor para nós. Eles recebem para isso.

Na AMA Vila Prel (Zona Sul de São Paulo), segunda-feira, o doutor pediu um exame de urina para saber o motivo de dores abdominais, dor de cabeça, tontura, enjôo... O resultado sairia na terça pela manhã. Ele não estava lá, mas quem estava, garantiu: não é nada, está tudo OK! Não deu nem atestado médico para poder ficar em casa tentando se recuperar, só deu uma injeção na veia - em meia hora você estará bem, disse o "médico". Ele só não explicou que seria BEM pior.

Quarta-feira, mais uma aventura, mas dessa vez, não na AMA - duas vezes e só houve piora, então, precisamos de outros profissionais. Hospital Municipal do Campo Limpo. Tempo de espera para atendimento: 6 horas. Uau! Dá para ter uns dois ataques cardíacos, três desmaios e algumas fraturas nesse tempo, não dá não? Ah, e ao lado, uma mulher explicava que a pessoa que mora com ela está com a famosa gripe suína. Ela queria fazer os exames. Sabe o que falaram? Volta amanhã. Eu acho que a gripe suína não deve ser nada grave...

Graças a Deus, também recebemos salário em dia e fomos a um hospital particular. Após uma hora e meia de espera, fomos atendidos. Resultado: Infecção urinária e um fungo. Puxa, não foi a infecção urinária que virou uma infecção generalizada e matou uma modelo há alguns meses? Sim (relembre aqui). Mas para o tal doutor, não havia nada de errado. Legal.

Hoje volto à AMA Vila Prel. Vou buscar seu nome e o CRM desse pseudo-médico. Vou denunciá-lo. Graças a Deus não era nada grave e tínhamos condições de pagar um atendimento particular. E quem não tem? E quem depende desses cretinos que nem olham na nossa cara e falam: "está tudo bem", mesmo você não conseguindo nem andar diante de tanta dor? E quem tem que ir, duas, três vezes por semana, esperar as 6 horas de espera para ser atendido e não ter nada resolvido?

É super agradável ficar 6 horas com pessoas que estão doentes, acho quase um passeio cultural.

Até quando vamos aguentar essa situação calados? Vocês vão esperar alguém que você ama morrer para agir? Por que você não faz nada agora? Informe as outras pessoas e ajude a quem precisa. Não podemos ficar parados. Denuncie! Cobre! Seja um cidadão, não um tolo.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Fim de feriado

Segunda começou congelando os paulistanos, que mal-acostumados com o calorzinho, amanheceram sob 6º. Haja blusa!

No feriado, inspirado pelo friozinho e pela chuva, aproveitei para fazer algo que não fazia há muito tempo: parar para assistir filmes. E mais: junto com minha família!

A jornada começou na quinta-feira, quando fui ao cinema ver "A Era do Gelo 3". Gostei. A história é bem bacana e mostra algo que eu admiro: a união e cooperação entre as diferentes espécies. Boas risadas são garantidas para aqueles que curtem uma comédia inteligente.
Aliás, o outro filme que vi também destaca a união e inteligência dos animais: "Os Sem Floresta". A sutil crítica à urbanização desenfreada também agradou.

Falando em inteligência, o "Crepúsculo" é um filme bem interessante. Uma história bem bolada, um elenco muito bem escolhido (os protagonistas são muito bons - a garota Kristen Stewart e jovem Robert Pattinson) e algo bem raro hoje em dia: nada de apelação, seja sexual ou violenta. Vale a pena assistir!

Outro filme que vi foi "Marley e Eu", com Jennifer Aniston e Owen Wilson. Uma comédia romântica que, sem dúvidas, vai emocionar a quem tem ou teve um verdadeiro "amigo cachorro".

No balanço, foi um feriado excelente. E fecho meu post com uma homenagem às minhas amigas, companheironas, que não importa a hora que eu chegue, a hora que eu saia, não importa meu humor, elas sempre estão ali, alegres por me ver e pedindo só uma coisa: minha atenção. Uma delas fez com que eu dormisse tranquilamente por 15 anos, vigiando dia e noite minha casa e, há quase um ano, é ela quem descansa.

Fiquem na companhia das minhas fiéis companheiras.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

A droga e o legal

Gabriel, "o Pensador", fez sucesso com a música "Maresia". Desde pequeno adoro essa "obra". E tem um trecho que eu nunca esqueço, por ser tão verdadeiro, tão real e atual, mesmo tendo sido cantada pela primeira vez há mais de uma década.

"Eles querem acabar com a violência, mas a paz é contra lei e a lei é contra a paz".

Verdadeiro demais.

Essa semana as rádios de São Paulo estão dando uma blitz na Cracolândia (para quem não é paulista, a "Cracolândia" é um bairro da região central da cidade chamado "Luz", mas devido à quantidade de usuários de drogas, tornou-se conhecida como "Cracolândia"). Essa semana deve ter mais jornalistas, repórteres e câmeras do que usuários an região. As principais emissoras estão "metralhando" as autoridades pelo aparente conformismo.

Vendo e ouvindo tantas notícias sobre o assunto, percebi muita gente reclamando: "Os caras usam droga o dia inteiro, no meio da rua. A Polícia passa e não faz nada". Os policiais se defendem com a seguinte argumentação:

- Quando o sujeito é flagrado usando a droga, ele é preso e autuado. Porém, usar drogas não é tráfico, então pode ser paga uma fiança e o sujeito está livre. Essa foi a explicação do delegado Aldo Galeano Junior, titular da 1ª Delegacia Seccional, à Rádio CBN.

Até aí, está tudo explicado (embora eu não concorde, mas essa é a resposta para o problema). Porém, minha dúvida vai além e eu fico realmente confuso com essa lei.

Afinal, se é proibido vender drogas, por que é permitido consumir? Ou, se é permitido usar drogas, por que é proibido vender?

Se algo é proibido de ser vendido, deveria ser proibido de ser consumido.

Se algo pode ser consumido, então que seja liberado para ser vendido.

Entendeu? Você pode consumir algo que é proibido de ser vendido e, se for pêgo em flagrante, (EM FLAGRANTE) a punição é financeira. Se os policiais chegarem e você não estiver consumindo, já era a prisão... O próprio delegado falou isso! Aldo disse que, como andam em grupos grandes, quando os usuários percebem a aproximação policial, eles jogam a droga no chão e pronto: não tem como provar que o indíviduo estava fumando crack... Vai entender essa lei...

Que fique claro: sou totalmente contrário às drogas. Na minha opinião, se não tem um uso médico, que o tal produto não seja comercializado e, se alguém for pêgo consumindo, que seja preso. O traficante só é traficante por que ele tem para quem vender, se não tivesse o comprador, ele não iria ser traficante... Se não tivesse traficante, muitas menininhas não precisariam se prostituir para poder comprar mais pedras... É um efeito óbvio...

O questionamento é: por que não simplificamos? Se a droga fosse proibida de ser vendida e proibida de ser consumida, a região central de São Paulo não seria chamada de Cracolândia, pois não teríamos usuários espalhados pelas ruas, atormentando os moradores da região e também quem passa pelo local. A polícia poderia chegar e prender. Ponto final.

Quem sofre é a população, que é assaltada para que os usuários possam comprar mais drogas, que não consegue dormir em paz por que tem um monte de gente fazendo baderna nas ruas, que não consegue chegar em casa tranquilamente, pois há um monte de pessoas, literalmente, sem noção do que estão fazendo - e aí, um é agredido, outro roubado, outra abusada sexualmente...

Nem cogito a idéia de liberar as drogas, isso seria um caos...

Ah, claro, muitos especialistas criticaram as autoridades, cobrando tratamento para esses usuários. Como se o problema fosse a falta de programas para livrar um viciado do mundo das drogas... E vale lembrar: para conseguir droga, o cara tem que pagar, ou seja, ele te que tirar dinheiro de algum lugar, nada é de graça. Difícil acreditar que os usuários são pobres coitados vítimas do tiranismo dos traficantes... Eles quiseram comprar drogas. Isso, óbvio, não elimina das autoridades a responsabilidade de elaborar um trabalho decente de ajuda à essas pessoas. Não basta pegar a turma, jogar dentro de uma van, levar para um albergue (se o nome já é feio, imagine como é lá dentro) e pronto. Tem que ter um acompanhamento, um trabalho de resocialização... Coisas que não vemos nos governos...

quinta-feira, 2 de julho de 2009

É festa!

Para comemorar meu 22º inverno, só peço a vocês que não percam seu tempo... Não desperdicem nem um minuto da sua vida, pois eles fazem falta quando não são bem aproveitados... Mas são extremamente deliciosos quando bem gastos!

Parece que foi ontem que eu estava vendo a menina da minha frente prender o brinco no vestido durante uma dança na formatura do pré...

Parece que foi ontem que eu corria com meu primo para atormentar os funcionários de um hotel em Barra Bonita...

Parece que foi ontem que eu acordei cedinho para ficar a manhã inteirinha vendo desenho animado...

Parece que foi ontem que eu cantava a música "Canção da América", do Milton Nascimento, na formatura da quarta série...

Parece que foi ontem que eu estava de frente para o auditório lotado recitando algumas palavras na formatura da oitava série...

Parece que foi ontem que eu e meus primos corriamos pelo pátio do colégio para não chegarmos atrasados logo no primeiro dia de aula da escola nova.

Parece que foi essa semana que fiquei jogando bola todos os dias, a tarde toda, e, depois, para "descansar", fiquei jogando video-game a noite inteira...

Parece que foi ontem que meus amigos da escola cortaram todo meu cabelo por ter passado no vestibular...

Parece que foi ontem que ouvi os professores da faculdade falando: "o mundo lá fora é difícil, não adianta reclamar dos trabalhos, vocês acham que vão ter moleza?"...

Parece que foi ontem que, em 24 horas, fui e voltei de ônibus de Minas Gerais, com a minha companheira de guerra, para fazer pesquisas do TCC...

Parece que foi ontem que ouvi a banca avaliadora dizer: "parabéns, seu livro-reportagem é nota 10!"

Pois é... Mais um ano se passou. Mais aventuras e novidades surgiram. Foram mais momentos de alegria, de nervosismo... Mais histórias para contar.

Amanhã tem mais... E vai continuar parecendo que foi ontem...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Cara de pau

Fico impressionado com a ousadia dos hackers. Vou postar aqui três dos e-mails que recebi que são golpes.

Não caiam nessa de baixar o arquivo "XYZ", ou acessar o site "XYZ", ou que você é o ganhador do prêmio de 100 milhões de "dinheiros"... Ah, e essa de "confiança mútua" para que um fulano rei da "Nãoseilândia" faça um depósito milionário na sua conta é mais uma falcatrua desses tontos que ao invés de usarem o cérebro para pensar em algo útil, o usam para ferrar as pessoas.

Fiquem atentos. Conforme eu for recebendo mais desses e-mails, vou postando aqui (recebo, por semana, umas 20 mensagens desse tipo). Abaixo, em verde é a mensagem. Em negrito, o e-mail que enviou a mensagem e o tema.

Atualização de Segurança - e-mail: infoemail@bradesco.com


Módulo de Segurança

Você, cliente do Banco Bradesco, pode acessar o Bradesco Internet Banking com tranqüilidade. A sua segurança se baseia nos mais modernos recursos tecnológicos disponíveis no mercado e em uma série de cuidados que começam desde o instante de sua habilitação até a conclusão da movimentação financeira.

O cadastramento no Bradesco Internet Banking foi criado para garantir que somente você consiga realizá-lo.

Existem ainda recursos tecnológicos como chave de criptografia, protocolo SSL 3.0, teclado virtual e certificado digital, atribuído pela Verisign, autoridade certificadora reconhecida internacionalmente.

Os recursos tecnológicos disponíveis no Bradesco Internet Banking estão distribuídos em todas as etapas de seu uso, desde a habilitação até a efetivação de uma transação. Mas sua participação também é muito importante para reforçar sua segurança.

O Banco Bradesco respeita a privacidade de todos os seus clientes.
Instalação e cadastramento em 2 passos:
1) Baixe o instalador do Módulo de Segurança.
2) Execute o instalador do Módulo de Segurança e reinicie o Internet Explorer.
Obs.: Você deverá ser um dos administradores do computador. Caso não seja, solicite que seu administrador de sistemas instale o Módulo de Segurança.
Pronto, seu computador possui o que há de mais avançado para segurança de transações bancárias.


Propaganda no Metrô de São Paulo - e-mail: pessoto@midiapessoto.com.br


Caros Senhores (as) :

Peço-lhes a permissão para enviar por e-mail informações sobre publicidade
no metrô de São Paulo, caso haja interesse, por favor, solicite maiores
informações.

............................................................................
..........................................................................

anuncie no metrô - SP
2.800.000 usuários / dia

- linha azul (01) - norte/sul - 306 vagões - 51 trens
- linha vermelha (03) - leste/oeste - 282 vagões - 47 trens
- linha verde (02) - ramal avenida paulista - 66 vagões - 11 trens
- linha lilás (04) - ramal campo limpo - 48 vagões - 08 trens
- cada trem possui 06 vagões
- total 702 vagões / 117 trens

** horário de funcionamento : das 05,00 às 24 hs

formato de anúncios :

painel de trem (vagão) - 0,41 x 0,61m
painel de trem (vagão) - 1,12 x 0,30m
painel de estação super - mezanino/plataforma - 2,18 x 1,09m
painel de estação - dupla face - 2,24 x 1,48m
painel de estação - escada - 0,41 x 0,61m
painel de estação clássico - mezanino /plataforma - 0.73 x 1,11m
painel de estação super - backlight - 2,47 x 1,22 m
painel de estação hiper - backlight - 3,72 x 1,22 m
painel de estação mega - backlight - 4,97 x 1,22 m
painel de estação master - backlight - 4,95 x 2,77 m
banner / estação - mínimo 5m2
adesivo vagão
adesivo porta vagão
adesivo janela vagão
adesivo em pilar estação
monitores tv
estande promocional

- tempo mínimo de exposição: 30 dias
- fornecer lay-out
- faturamento veiculação: 30 dias
- faturamento produção: 30 dias
- contrato máximo de veiculação: 06 meses
- verificar a disponibilidade de espaços

obs: empresa devidamente credenciada junto ao metrô para exploração
comercial de espaços destinados a realização de ações promocionais,
comerciais e de serviços.

atenciosamente !!



JOSÉ ROBERTO PESSOTO PUBLICIDADE ME.
www.midiapessoto.com.br
pessoto@midiapessoto.com.br
jrpessoto@terra.com.br
FONE / FAX : 11 2910-9273
CELULAR : 11 9712-2958



Venda de produtos - e-mail: aik_robin87@hotmail.com


Re: Olá
Por favor, perdoe-nos a perturbar o seu precioso time.We é um dos eletr?nicos company.one maior no comércio internacional grossistas China.We principalmente vender produtos eléctricos, tais como laptops, LCD TV, camera, celular, Mp4, GPS, e assim por diante.
nossos produtos s?o conhecidos como de alta tecnologia, precisa fabrico, qualidade assegurada, mais, nós podemos oferecer o pre?o competitivo, e todos os produtos vêm com internacionais garantia. O objectivo da nossa empresa é fornecer "os mais novos produtos, de entrega mais rápida, melhor qualidade "para os nossos clientes.
Se você tiver tempo e interesse, por favor visite nosso website: www.coizh.com
Msn / E-mail: service@coizh.com
Além disso, vou dizer-lhe algumas boas notícias. nossa empresa est?o realizando alguma promo??o
actividades.
1. Se o total dos pre?os adicionar até 1000 € de uma vez, damos-lhe um produto de gra?a
, Apple iPod Shuffle 2GB, pre?o: 22.02EUR.
2.Se o total dos pre?os adicionar até 2200Eur em uma vez, damos-lhe um produto de gra?a
, Canon Digital IXUS 80 IS Compact Camera, pre?o: 75.63EUR.
3.If pre?os totais adicionar até 4000 € de uma vez, damos-lhe um produto de gra?a
, Sony Playstation 3 160GB console, price: 129.91EUR.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

E a sua homenagem?

O assunto dessa sexta-feira é só um. Todas as mídias só falam disso. Os jornais impressos trazem longas matérias sobre a vida dele. Os jornais televisivos relembram os clipes desse ícone pop. As rádios colocam na "parada do dia" antigos sucessos que embalaram por anos, e ainda embalam, a balada dos amantes da dança. Os hits com décadas de vida servem como inspiração para outros artistas de ontem, de hoje e de amanhã.

Mais do que qualquer fato, essa sexta está reservada para tornar vivo o passado recheado de sucesso e polêmicas de Michael Jackson.

Incrível como no mundo inteiro ele é o assunto. A queda de um avião, a cassação de um governador, a batalha jurídica de uma lei aque afeta diretamente mais de 10 milhões de pessoas, protestos, guerras, a vitória da seleção brasileira. Nada tem mais audiência do que a morte do "Rei do Pop" nesse finalzinho da semana.

Incrível como a morte de uma pessoa a faz tão famosa. Se Michael tinha sua rotina discretamente flagrada pelos paparazzi até anteontem, hoje todo o mundo ouve falar dele. Muitos dos críticos se silenciam. As homenagens não param.

Como já havia previsto Clarice Lispector, é "a hora da estrela".

É tudo muito bonito o que os fãs e imprensa fazem, mas sou cético quanto a isso. Acho muito chato que só façam homenagens após a morte. Por que não fizeram isso quando a pessoa estava viva? Agora, ele não está em condições de se emocionar, de sorrir, chorar, abraçar aquele que fez a homenagem. Poxa, esperar a pessoa morrer para fazer uma linda matéria mostrando os bons momentos do falecido agora só serve para os fãs recordarem, ou como um consolo para a família... De nada adianta ao morto, que é o motivo da lembrança. O que será que o falecido sentiria vendo, ouvindo, sentindo a homenagem? Com certeza, se estivesse vivo, seria bem melhor do que a reação dele agora...

Mas isso não vale só para os artistas, pelo contrário. Há pessoas muito mais importantes e necessárias para você do que qualquer celebridade. O que seria da sua vida sem seu pai, sua mãe, seu irmão, sua esposa ou aquele(a) grande amigo(a)? (Isso vale para os mascotes que alegram nosso dia-a-dia).



Você vai esperar eles morrerem para lamentar a falta que eles farão? Não espere até lá. Faça sua homenagem, te garanto que mais do que qualquer vídeo com os melhores momentos, algumas horas com a sua presença serão muito mais agradáveis. Não perca seu tempo, nem deixe de valorizar quem faz de tudo para te ver bem...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Rapidinhas da semana

- E a culpa é do... Morto! A culpa pela morte de 199 passageiros na queda de um avião da TAM em 2007, em São Paulo, é do comandante que errou pois estava com medo de pousar. Essa é a conclusão da Aeronáutica e divulgada pela Globo. Não tenho como afirmar que a conclusão é certa ou errada, pois não participo dessas investigações nem tenho detalhes. Mas, na época do acidente, já comentava com "minha turma": a culpa será do morto... É óbvio... Como sempre...

- Justiça concede liminar suspendendo parte da lei antifumo em São Paulo: A medida volta a liberar os fumódromos e tira a obrigação dos proprietários de fiscalizar seu estabelecimento. Uma derrota para quem não está a fim de se matar, mas que pode ter uma reviravolta, se o Supremo Tribunal Federal (o mesmo que tirou o valor do diploma dos jornalistas) assim o quiser... Haja oração!

- Prefeitura de São Paulo vai restringir tráfego de ônibus fretado na cidade: Um dos argumentos para proibir os fretados em determinadas regiões é a clandestinidade... Ou seja: é mais fácil proibir esses ônibus do que fazer uma rígida fiscalização... É mais fácil superlotar os superlotados ônibus, trens e metrô, e aumentar a poluição do que combater a clandestinidade... Vai entender o que eles pensam...

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Qualquer um pode ser jornalista?

Essa semana o STF determinou que para exercer a profissão de jornalista, não será mais exigido o diploma. Isso possibilita a qualquer pessoa se tornar um repórter, por exemplo, sem ter cursado a faculdade de jornalismo.

Mas isso é justo e responsável? Você aceitaria ser operado por um cirurgião que não passou nem perto do curso de medicina? Você concoradaria que seu filho tivesse aula de matemática com um professor que nunca foi à universidade? O caso é semelhante com o jornalismo.

Ser jornalista não é só escrever bem ou ser curioso. É muito mais. É ter um compromisso com a população, uma relação ética de vigilância do poder, de prestação de serviços, de orientação e informação. É saber observar a realidade, buscar vários aspectos e visões sobre um mesmo fato, analisar sua relevância à população, apurar tudo o que foi observado e, então, transformá-lo em uma matéria.

O jornalista tem que saber o que, como, quando, por que e para quem divulgar a notícia. Ele tem que observar como vai escrever algo para um determinado público. E isso não é ensinado nas escolas ou em outros cursos.

Lembra do Sérgio Moraes, que afirmou "estar se lixando par a opinião pública" e disse "até por que parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, a gente se reelege"? Pois é... Ele não é o único a tentar desmoralizar os jornalistas...

A decisão do Supremo Tribunal Federal é uma ofensa aos jornalistas, aos estudantes de jornalismo e àqueles que acompanham, precisam e vivem do jornalismo.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

O sentimento ignorado

Essa semana o principal assunto pelo mundo foi o sumiço do avião da AirFrance. Mais de 200 pessoas desapareceram junto da aeronave no meio do oceano Atlântico.

O que sumiu também foi a rara e dificilmente vista ética jornalística. Parece que muitos "profissionais" nem sabem o que é isso.

Vi na terça-feira uma reportagem da TV Record com as pessoas que escaparam da morte: passageiros que iriam embarcar no vôo 447 mas, por algum motivo, não foram.

Mas, peraí.

Como um jornalista pode afirmar que pessoas escaparam da morte se não se sabe o que aconteceu com o avião? Pior: como um representante da profissão que leva informação à todas as pessoas do planeta pode afirmar que as pessoas escaparam da morte se não se sabe como estão os passageiros?

Oras, muitos podem questionar: então você acredita que após quase uma semana de desaparecimento, ainda pode haver sobreviventes? Lógico, até que me provem que todos os corpos foram encontrados e que a causa do sumiço do avião seja explicada. Até lá, o jornalista não pode (poderia), em hipótese alguma afirmar que "fulano escapou da morte pois a mãe dele falou que não era para ele viajar".

Afinal, "do outro lado da moeda" estão os familiares dos passageiros. Eles têm sentimentos e esperanças. Por que o parente dele não estaria vivo? O avião pode ter desviado da rota devido ao mau tempo e fez um pouso de emrgência em uma ilha.

"Ah, você está brincando... Acredita mesmo nessa hipótose?". Não, não acredito, mas como jornalista, não posso afirmar o que aconteceu sem saber o que de fato ocorreu. Até que sejam provadas as mortes e a causa do sumiço do avião, TODAS as hipóteses são válidas.

Uma pena ver na TV, nos rádios e jornais pessoas que não tem o mínimo de consideração e respeito pelo sentimento dos outros.

Que fique claro: a intenção não é dar esperanças aos parentes dos passageiros, mas apenas fazer um jornalismo que respeite cada indivíduo.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Rico

Conhece o Rico Starr?? Não?? Onde você estava no milênio passado? Clique aqui e veja se você conhece...




quinta-feira, 28 de maio de 2009

Desprezo pela educação

Sempre cito aqui que para melhorar diversos aspectos da sociedade é necessário investir em educação. Infelizmente, em São Paulo, ultimamente o que temos é somente descaso com os paulistas, provas claras e óbvias de descaso e desinteresse em fazer algo decente para os alunos da rede pública.

Somente nesse ano já foram vários erros grosseiros:

1 - No começo do ano, foi constatado nas apostilas de geografia que foram distribuídas aos alunos da 6ª série erros no mapa da América do Sul: o Paraguai foi colocado duas vezes e o Equador sumiu do continente. Na apostila de história desses mesmos alunos, estava informado que Cristóvão Colombo descobriu a América em 1942 (o correto seria 1492, um "simples" erro de digitação). Isso só para citar os erros mais graves (clicando nos links você pode ver mais sobre os erros e outras falhas). A então secretária de Educação, Maria Helena Guimarães, "caiu" e tomou posse o ex-ministro Paulo Renato.

2 - Pouco depois, foi descoberto que o livro "Dez na área, um na banheira e nenhum no gol" foi indicado para leitura complementar dos alunos da 3ª série do ensino fundamental. O problema é que livro tem conteúdo erótico e palavrões, sendo recomendado para MAIORES DE 18 ANOS. O material, de acordo com a Secretaria, não foi usado pelos alunos e foi recolhido.

3 - Menos de um mês depois, mais uma vez uma obra distribuída pelo Governo foi flagrada: o livro "Poesia do dia" foi indicado para os mesmos estudantes da terceira série do ensino fundamental. Porém, a obra, classificada como sarcástica e irônica, é recomendada para adolescentes. No livro, há mensagens como "não ame ninguém, estupre". Os conselhos no material eram para serem "entendidos ao inverso".

Já não bastasse o ridículo sistema de progressão continuada, agora até o material deforma o conhecimento dos alunos. O secretário Paulo Renato afirmou que as obras serão recolhidas e, a partir de agora, uma comissão irá avaliar e terá que dar um parecer para cada material selecionado para ser entregue aos estudantes.

É o minímo que se pode fazer, afinal, não dá para recomendar livros sem pelo menos terem sido lidos por algum profissional. E esperamos que os responsáveis por indicar as obras para os estudantes sejam severamente punidos. Não dá para admitir erros desse jeito, pois só fica claro que NINGUÉM ESTÁ SE IMPORTANDO COM O ENSINO.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Rapidinhas do dia

Policiais e moradores da Vila Jacuí entram em confronto após a morte de um rapaz acusado de ser traficante - Está virando rotina em São Paulo. E é a confirmação de que tem algo muito errado no estado. Esse ano já é a terceira manifestação violenta de uma comunidade contra policiais e o motivo é o mesmo: morte/prisão de um suposto criminoso. O que será que está errado? As pessoas enlouqueceram e estão apoiando criminosos? Ou será que as pessoas vêm no Governo o descaso e a falta de preocupação que os "Robin Hoods" têm com eles?


Prefeito de Porto Feliz chega a São Paulo para entregar abaixo assinado ao governador José Serra - É fácil querer barrar a construção de um presídio na cidade. Poucos aceitam ter uma unidade prisional do município. Qual é a solução? Matar os presos? Jogar todos no mar? Consturir unidade flutuantes e soltá-los nos rios, lagos e oceano? 

Primeiro: Educação. Essa é a base para melhroar todos os setores: segurança pública, saúde, transportes... Precisamos de pessoas educadas. 

Segundo: Punições que realmente punam os infratores e medidas eficientes de resocialização. Não basta jogar o detento na cela e deixá-lo lá cumprindo a pena. Tem que ter um trabalho para inserir o indivíduo na sociedade após um período de tratamento para "consertar" o cidadão.

Terceiro: Construir mais unidades prisionais, afinal, a superlotação é evidente na maioria das unidades. Tem que ter paciência e vontade de cooperar.


Prefeitura de São Paulo quer restringir tráfego dos ônibus fretados na cidade - Uma medida que só vai piorar o trânsito e ajudar a poluir mais o meio ambiente, afinal, muitos dos usuários dos fretados têm carro e optam pelo transporte coletivo. Se o fretado sofrer uma grande restrição, óbvio, muitos vão recorrer ao carro, afinal, os ônibus "comuns", trens e metrô ainda não são opções para quem deseja conforto nos horários de pico.

terça-feira, 26 de maio de 2009

A festa não pode parar

E a frase foi levada ao pé da letra na Escola Estadual Leopoldo Santana, no bairro do Capão Redondo, zona sul de São Paulo no sabádo, 23/05.

A quadra da escola estava lotada para conferir as atrações. A música não parava: era funk, era "fanfarra", era pagode. E a platéia gritava de alegria, cantava, pulava. A festa estava "bombando"! Tudo muito legal! Só não foi melhor por que já eram 23h30.

Oras, e qual o problema? É proibido ter festas nas noites de sábado? A noite é uma criança e o domingão está aí para descansar e recuperar o sono perdido, não é? Lei do silêncio? Que nada... 22h é para os fracos... Você trabalha no domingo? Pobre inútil... Vai pular na festa e chega "animadão" no serviço, com olheiras e morrendo de sono... Não quer ir? Não tem problema, a escola compartilha o som com você. Não quer? Dane-se... Está cansado e quer dormir? Espera a festa acabar... Ou liga para a Polícia, PSIU e aguarde uma solução... Mas aguarde deitado... E curta o som...

Acredito que é isso que a direção da escola pensa. Não é a primeira vez, nem a segunda que tem festa nessa escola, a balada vai bem além das 22h e o som é compartilhado com os bairros vizinhos...

Ao invés de se preocuparem em ensinar direito, capricham nas baladas e desrespeitam os vizinhos... 

É para isso que pagamos impostos!

Obs: foi enviado um e-mail para a Secretaria de Educação do Estado reclamando da festa, que ocorre frequentemente na escola. Vamos ver qual será o retorno.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Insegurança

Todo dia, na hora de ir trabalhar, passo em frente a uma base da Polícia Militar no bairro do Jardim Vaz de Lima. Passo lá bem cedo, em torno de 5h20.

Como jornalista, sou observador. E hoje notei que 3 viaturas da PM estavam lá, paradas, em frente à base, situação que é bem frequente. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, os furtos a transeuntes normalmente começam a ocorrer a partir das 6h, horário em que as pessoas estão saindo para trabalhar.

Nessa manhã de quinta-feira, em torno das 6h, minha noiva foi assaltada. Graças a Deus, levaram apenas a bolsa que tinha material da faculdade, óculos e a carteira, apenas com o cartão de débito e uma xérox do RG. Um motorista que passava pela região viu o ocorrido, seguiu  a dupla que estava em uma moto e anotou a placa. Ele voltou então para dar as informações, revelou que já tinha visto essa MESMA dupla assaltar outra pessoa e informou que até tentou atropelar os criminosos, mas devido aos becos, foi fácil para a moto fugir.

Fico pensando e lembro o que escrevi em um post recente: embora os indíces de criminalidade tenham caído no estado, a sensação de insegurança é enorme, como sempre. E associo a minha observação ao ocorrido: quase 6h e 3 viaturas paradas na base da PM, que tem como missão, o policiamento ostensivo e o COMBATE ao crime, PREVENÇÃO.

Aí, surge na minha cabeça a pergunta: como o crime pode ser evitado se quem teria que estar fazendo o patrulhamento ostensivo está parado na base militar? Será que estavam esperando alguém ligar e informar que foi cometido um crime? Aí, a missão de proteger a população já foi por água abaixo, afinal, o crime já foi cometido...

E detalhe: repare na superlotação das cadeias e quantas pessoas são presas toda semana... Cadeias superlotadas pelo país inteiro e um número enorme de prisões todo dia. Sabe o que isso significa? Que há um fracasso do Governo (municipal, estadual e federal), pois se somente prender resolvesse, por que então todas as cadeias estão superlotadas e os crimes continuam acontecendo? Falta uma política de segurança pública séria, que realmente revele uma preocupação e intenção em prevenir e proteger, não remediar e prender. Jogar os detentos em uma cela com outros 20 presos não ajuda em nada o processo de resocialização... Além do que, poucos são os que realmente cumprem a pena, pois é tanto recurso para diminuir o tempo de detenção - bom comportamento, réu primário... Me diga: qual foi o bom comportamento ao roubar, agredir, matar uma pessoa? E o que importa se foi o primeiro crime se uma vida foi tirada? 

Será que é tão dificil ver que essa política está errada, que não está dando bons resultados?

Como diz Gabriel, o Pensador: "eles querem acabar com a violência, mas a paz é contra lei e a lei é contra a paz"

domingo, 17 de maio de 2009

Posto abandonado

Olá caros!

Hoje estrearei aqui um novo bloco do blog, totalmente voltado para denúncias de irregularidades em São Paulo.

O primeiro post é sobre um posto abandonado no bairro do Parque Santo Antônio, zona sul da cidade. O posto fica na Rua Deocleciano de Oliveira Filho, altura do número 600.

Fechado há alguns anos, o local virou depósito de lixos e entulhos. Isso pode trazer ratos e insetos ao bairro. Agora, pessoas estão usando o local para guardar material. Além disso, como não tem luz e tem stands que serviam como lojas de conveniência, o posto pode servir de esconderijo para criminosos. Abaixo, veja um rápido vídeo sobre o local.

video


Vendo a ameaça à população da região, na sexta-feira foi formalizada uma denúncia à Subprefeitura de M'Boi Mirim, responsável pela área. O atendente Helton, da Praça de Atendimento, informou que os fiscais têm uma semana para checar o local e dar um retorno à reclamação.

Em uma semana postarei aqui novamente informando qual foi a resposta da Subprefeitura.

Se você é morador de São Paulo e viu algo errado, denuncie. Ou mande para o blog e juntos vamos ajudar a melhorar nossa cidade. Vamos cobrar das autoridades as devidas ações.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Falando em protesto

Nos últimos dois posts o tema era protesto. No primeiro, uma comunidade se revoltou com a prisão de três rapazes acusados de estarem ligados ao tráfico de drogas. A rebelião resultou em confronto com a Polícia, 4 veículos queimados, motoristas assaltados e um cenário de guerra nas ruas. 

No outro, alunos da escola estadual Professor Antônio Firmino de Proença, na Mooca, quebraram janelas do colégio após uma ação da Polícia Militar. As informações a seguir foram encontradas na Rádio CBN e no Jornal da Tarde. Os PMs foram chamados pela direção da escola sob a alegação de que dois alunos de outro período tinham invadido a escola e estavam usando drogas no pátio. A Polícia usou gás lacrimogêneo e os garotos alegaram ter sido espancados. A notícia deixou os colegas revoltados e o quebra-quebra começou.



Mais uma vez, um protesto contra ação dos policiais. Mais uma vez, o final é vandalismo.

Por que essa guerra entre população e Estado?  O que acontece, ou não, para tanta revolta?

Na minha opinião, cenas como essas acontecem nas escolas por falta de punição e interação com alunos.

É incrível a sensação de impunidade aos alunos. Pseudo-estudantes dão tapas, socos, ameaçam verbalmente, apontam armas aos professores e o que acontece? Punição máxima: o aluno é transferido de escola. Uma "punição" ridícula e que não mete medo nem em alunos do primário.

Outro problema é a falta de interatividade entre o aluno e a escola. Não há atividades que estimulem o aluno a gostar de estar na escola. É um relacionamento: finge que aprende e eu finjo que ensino. E isso é bem claro ao observar o resultado da avaliação dos alunos no Saresp. O principal estado do país tem alunos que mal conseguem tirar nota 5. E o que é feito para acabar com esse problema? 

Agora o Governo Serra lançou um programa de capacitação dos professores. Para ingressar na rede pública de ensino, o candidato terá que passar por um concurso e, se passar, terá pela frente um período de 4 meses de treinamento. Então poderá lecionar. Uma ótima medida, afinal, para ensinar algo o professor tem que dominar o assunto. Porém, essa medida soa mais como "combater o mal pelas folhas". A raíz permanece "intocada".

Para começar, falta segurança para professores. Dar aulas em escolas públicas é uma aventura. A punição para o desrespeito aos professores deveria ser realmente punitiva e que ajudasse o aluno a corrigir a postura, não somente transferir o problema para outra escola. Uma das medidas poderia ser o trabalho comunitário. Outra, dependendo da violência, a detenção na Fundação CASA.

Paralelo a isso, o sistema de ensino deve mudar. Só repetir no aluno o final de cada ciclo é piada de mau-gosto. É necessário um sistema que realmente avalie e, quem não tiver aprendido o conteúdo básico do ano letivo, que o faça novamente. Aulas de reforço também devem ser feitas com frequência.

Além do mais, é necessário maior interação com os alunos. Realizar torneios e campeonatos, como as Olimpiadas da Matemática, é uma forma de incentivar o estudo. Dar mais opções de leitura e acessibilidade ao aluno é outra maneira de fazer o aluno ver que a escola é um lugar onde ele realmente vá aprender algo útil.

Mas o problema não é somente do Governo. Os alunos são desinteressados, não estão preocupados em aprender e não entendem que as janelas e carteiras que eles destrõem são pagos com os impostos que os pais deles pagam. Aliás, os pais também são culpados, pois não dão atenção e educação aos filhos.

O problema só vai ser solucionado com uma reciclagem da sociedade. Governo e "cidadãos" precisam mudar o comportamento, ou a tendência é que as revoltas sejam cada vez mais violentas.

Protesto

Interessante ver a diferença cultural entre os países. Olha só esses trabalhadores protestando na China por reajuste salarial.



Não posso afirmar que todos os protestos na China são desse jeito pois não tenho conhecimento para isso, mas é interessante ver a diferença dessa manifestação com relação as greves que deixam constantemente milhares de brasileiros "na mão"...

Greve é uma forma inteligente de se reivindicar algo, mas quando usada com... Inteligência!

Paralisar uma cidade com manifestações dominando as avenidas e ruas só faz a população ficar contra os grevistas. Isso sem contar quando não é o trânsito que é o maior afetado, mas os reféns do transporte público, que ficam a ver navios sem ter como ir para a empresa. Os trabalhadores que desejam chegar ao serviço, mas são impedidos devido ao congestionamento ou falta de transporte, poderiam olhar para a greve com outros olhos se sua vida não fosse afetada de tal maneira.

Será que um dia os brasileiros vão aprender a se expressar de forma inteligente e civilizada?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Violência em São Paulo

A noite de quarta-feira na Penha, zona lesta de São Paulo, foi bem violenta.

Após uma ação policial que prendeu um rapaz acusado de tráfico de drogas no final da tarde, um ônibus foi roubado e a Polícia teve que agir novamente.

O ônibus, um microônibus e um caminhão foram incendiados por protestantes, que entraram em confronto com os militares.


Imagem da Globo.com

A Polícia alega ter sido agredida com pedradas e pauladas e afirma que o assalto aos passageiros do ônibus não teve relação com a prisão do jovem de 18 anos.

A população reclama da ação dos policiais que, segundo os moradores, chegou empurrando todo mundo, chutando portas e passando a impressão de que todos na comunidade eram ladrões. E defendem que o jovem preso não tem relação com o tráfico.


Imagem da Globo.com

Mais uma vez São Paulo assiste a uma guerra entre policiais e moradores. O confronto poderia ter sido pior, pois o fogo dos ônibus incendiados acertou a fiação elétrica, que deixou o bairro da Penha sem luz, além de ter se espalhado até poucos metros de um posto de combustível. Para complicar ainda mais, motoristas que passavam pela região foram assaltados.

Um conflito que retrata os dois lados da mesma moeda:

A população reclama da ação da polícia alegando abuso da força, mas quando chegaram no local, os militares foram recebidos com pedradas e pauladas. Além disso, os assaltos aos motoristas que estavam parados no congestionamento e o assalto aos passageiros de um dos ônibus que foi queimado deixam no ar a pergunta: A população é tão inocente quanto parece nas declarações? Será que os policiais realmente exageraram no uso da força? E o dono do caminhão incendiado, quem vai pagar?

Claro, a Polícia não é santa. Exemplo disso é que nessa mesma noite, pouco depois da guerra na zona leste, na zona sul um policial da reserva da PM dirigia aparentemente embriagado, de acordo com as vitímas. Ele bateu em três veículos, fugiu e só parou na última colisão, quando se machucou bastante.

Esses probemas mostram que autoridades e população ainda não falam a mesma língua. As medidas de prevenção e combate ao crime ainda precisam ser muito melhoradas, pois apesar da queda dos indíces de criminalidade em São Paulo, a sensação de insegurança ainda é enorme. Já a população precisa aprender que os policiais não devem chegar na comunidade distribuindo doces e brinquedos aos moradores. 

Além do que, protestar queimando ônibus e assaltando motoristas não ajuda em nada. A Polícia tem como missão ajudar e proteger a população, e é pra isso que eles são treinados e precisam pôr em prática com mais eficiência. Mas a população também precisa começar a ajudar a Polícia e, mais do que isso, se ajudar.

Atualização: Um detalhe bem visto pela Paula que não foi citado no post é que a ausência do Estado abre espaço para que outras organizações tomem a liderança de uma comunidade. O fato de os moradores terem ficado contra a Polícia é uma derrota enorme para o Estado. Afinal, quais são as condições de vida naquela região? Qual a atenção dedicada pelo Governo às pessoas que vivem ali? O saneamento básico atende a todos? Há patrulhamento policial eficiente e constante lá? Há assistência social, atendimento às necessidades da comunidade? Dificil conseguir responder "sim" para alguma das últimas perguntas e mais difícil ainda é encontrar uma resposta satisfatória para as outras questões. A ausência do Estado, as falhas no sitema de educação, saúde/saneamento e segurança, básico para um Estado que é o motor de um dos países em crescimento, são gritantes não somente na Penha, mas em grande parte dos bairros de São Paulo.