quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Chip nos carros

Hoje (28/10) ouvi uma entrevista na Rádio CBN com Ciro Vidal, presidente da Comissão de Trânsito da OAB, reclamando da implantação dos chips de identificação nos carros. Os chips trarão informações sobre licenciamento, multas, IPVA e Inspeção Veicular.

Para Vidal, é mais um modo do Estado controlar o cidadão.

Sinceramente, acho ótima essa idéia do Governo Federal. É mais fácil assim encontrar os veículos irregulares, motoristas que não pagam multas ou que tiveram os veículos reprovados na inspeção veicular. Acho uma boa iniciativa e vejo esse "controle" do cidadão como algo positivo, afinal, se ele estiver com as contas em dia, não haverá problemas.

E quem sabe, esse aparelho não ajude a localizar veículos roubados?

A minha dúvida é com relação à fiscalização, afinal, como será feita? Haverá radares que captam as informações do chip?

Mas, de qualquer modo, é uma boa iniciativa e acho válido que façam a experiência.

Se a reclamação é sobre o "controle sobre o cidadão", pergunto: para que serve o Governo, se não orientar os cidadãos, cuidar para que não haja problemas para a sociedade e impor limites que garantam a privacidade e o direito dos outros? Vejo nessa medida uma boa oportunidade para combater os "espertões", que não estão nem aí para as regras e leis.

Só não gostei muito da idéia de que o cidadão é quem terá que pagar pelo chip. O proprietário do veículo já tem que pagar IPVA, licenciamento, inspeção veicular e agora terá que bancar a implantação do equipamento? Bem que poderia haver um desconto em um desses impostos...

2 comentários:

Anônimo disse...

Nao concordo com sua opiniao. Fala-se em chips mas na verdade o governo está obrigando o uso de rastreadores com tecnologia GPS + celular. Isto vai custar (obviamente não no preço do carro, mas custo para a montadora de veículos) cerca de 100 dólares. A venda anual de carros+caminhoes/onibus+motos é de mais de 4 millhões de unidades. Multiplique estes 4 milhões por 100 e teremos no mínimo 400 milhões de dólares por ano que poderiam ser muito mais bem gastos no combate ao crime, aparelhamento da polícia, inteligência investigativa etc etc do que instalar rastreadores. Claramente o governo está empurrando, mais uma vez, para o cidadão a sua responsabilidade, para o que o governo já arrecada impostos. Esta iniciativa do Denatran me parece muito mais para atender interesses econômicos de operadoras de telefonia e fabricantes de equipamentos do que do cidadão brasileiro, que a propósito, nunca foi consultado sobre o interesse em pagar esta conta. Será que tem algum político envolvido???

O Jornalista disse...

É uma visão coerente e não é nada difícil haver interesses políticos por trás da iniciativa. Aprovo a idéia para fechar o cerco aos inadimplentes, mas concordo que com essa quantia, poderíamos investir melhor em outra área, ainda mais com a possibilidade de o cidadão ter que arcar com os custos - se seus cálculos aproximados estiverem certos, serão mais R$ 200 para cada proprietário... Aí fica complicado... Acho que isso tem que ser bem debatido.

Mas ainda assim, acho que os rastreadores poderão ser úteis.

Obrigado pela visita e pelo comentário construtivo.