sexta-feira, 19 de junho de 2009

Qualquer um pode ser jornalista?

Essa semana o STF determinou que para exercer a profissão de jornalista, não será mais exigido o diploma. Isso possibilita a qualquer pessoa se tornar um repórter, por exemplo, sem ter cursado a faculdade de jornalismo.

Mas isso é justo e responsável? Você aceitaria ser operado por um cirurgião que não passou nem perto do curso de medicina? Você concoradaria que seu filho tivesse aula de matemática com um professor que nunca foi à universidade? O caso é semelhante com o jornalismo.

Ser jornalista não é só escrever bem ou ser curioso. É muito mais. É ter um compromisso com a população, uma relação ética de vigilância do poder, de prestação de serviços, de orientação e informação. É saber observar a realidade, buscar vários aspectos e visões sobre um mesmo fato, analisar sua relevância à população, apurar tudo o que foi observado e, então, transformá-lo em uma matéria.

O jornalista tem que saber o que, como, quando, por que e para quem divulgar a notícia. Ele tem que observar como vai escrever algo para um determinado público. E isso não é ensinado nas escolas ou em outros cursos.

Lembra do Sérgio Moraes, que afirmou "estar se lixando par a opinião pública" e disse "até por que parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, a gente se reelege"? Pois é... Ele não é o único a tentar desmoralizar os jornalistas...

A decisão do Supremo Tribunal Federal é uma ofensa aos jornalistas, aos estudantes de jornalismo e àqueles que acompanham, precisam e vivem do jornalismo.

8 comentários:

Maldita Futebol Clube disse...

cara, eu que passei quatro anos de minha vida estudando culinária e não sabia? Não satisfeito fiz uma pós em culinária esportiva, outra em marketing de gestão e pior, um cursop de chefe siupremo para ensinar a novos cozinheiros, em docência do ensino superior! E o pior de tudo , no meu programa de receitas jornalisticas falarei desse caras! com uma receita de merde a la supreme! e cogonut a la gilmar com pitadas de pimenta no rabo dele! desculpa, mas agora vou assitir as recitas da band..jornalismo? melhor nem falr...bando de bossais, amanhã acho que vou operar um paciente ou defender uma vitima, se eles podem na minha profissão pq o meu saber tb não serve para a deles?

Rafaaaa disse...

Acho isso um absurdo, mentem que querem investir na educação prejudicando uma profissão. Porque logo jornalismo?? Só pra seus atos não entrarem em pauta logo no café da manhã?? Boas redações agora irão pro Caderno 2?? Falando um português bem claro que não vai aos jornais( ou agora vai né!) É FODA!!!

Euzer Lopes disse...

Cara, eu só vou dizer uma coisa: o sujeito vai ter de ser muito convincente para me convencer de que quatro anos de curso superior tornaram-se desnecessários para se fazer um bom jornalismo.
Por enquanto estou achando que a idéia só funciona nos rincões do Brasil onde mal se tem jornalismo de vendinha.

Su disse...

Essa decisão do STF é abusiva e completamente sem argumentos. É revoltante demais saber que qualquer pessoa agora pode ser considerada jornalista, porque isso não é verdade.
Abraços amigo, saudade de vc

Vv disse...

Eu penso, que a questão está além do DIPLOMA. Se ninguém se arriscaria operar com um médico não formado, tão pouco alguém daria crédito a uma notícia dada por um Dentista ???

A necessidade de qualificação, formação, de domínio de técnica, de conhecimento jornalístico NÃO vai acabar jamais, mesmo depois da decisão de um NÃO QUALIFICADO STF !!

Parabéns pelo Blog.

Abraços, Vivi.

Guilherme Schelbauer disse...

pois então, a minha opinião é a seguinte, o diploma de jornalismo não é mais obrigatório, isto é, qualquer um tem o direito de expressão reservado pela constituição seja ele dentista, cozinheiro etc... Essa lei saiu 1 mês perto de eu começar a minha faculdade de jornalismo em uma particular na cidade, e não sei ainda se vai fecha turma na faculdade, outra coisa que eu penso, é que, as emissoras que empregam jornalistas dificilmente irá pegar um jornalista sem um ensino superior, com exceção de lugares distantes, onde parece que se formar em jornalismo é quase impossível.

Guilherme Schelbauer disse...

pois então, a minha opinião é a seguinte, o diploma de jornalismo não é mais obrigatório, isto é, qualquer um tem o direito de expressão reservado pela constituição seja ele dentista, cozinheiro etc... Essa lei saiu 1 mês perto de eu começar a minha faculdade de jornalismo em uma particular na cidade, e não sei ainda se vai fecha turma na faculdade, outra coisa que eu penso, é que, as emissoras que empregam jornalistas dificilmente irá pegar um jornalista sem um ensino superior, com exceção de lugares distantes, onde parece que se formar em jornalismo é quase impossível.

Juliana disse...

Injustiça toootal com os jornalistas e estudantes! Não concordo nem um pouco