segunda-feira, 7 de julho de 2008

Meros detalhes

Algumas coisas são bem estranhas nessa vida... Mas as vezes essa "estranheza/estranhice/coisa estranha" pode ter um significado bem simples.

Em São Paulo, estamos em ano eleitoral. Não só em São Paulo, mas no Brasil inteiro. Mas vou somente falar de algumas "coincidências" paulistas. Será que acontece o mesmo por ai? Vamos ver...

No fim de 2005 eu comecei a me interessar por política. E no fim de 2006 passei a viver política devido ao serviço. E desse modo, pude observar algumas coisas com mais constância.

Primeira Coincidência: Greve. Eu já havia visto, desde 2005, algumas greves de professores em São Paulo. Mas, coincidentemente, em ano eleitoral, a APEOESP (Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo), que era presidida por alguém ligado à oposição (Carlos Ramiro é suplente do senador petista Eduardo Suplicy). Ramiro perdeu o mandato há uma semana, em eleições. E, justo nesse período eleitoral, a categoria fez uma greve de 21 dias. Sim, 3 semanas sem aulas. Não foram todas as escolas que aderiram. O Sindicato diz que foram 70%, enquanto a Secretaria de Educação chegou a afirmar que foram somente 2%. Pouco mudou. Os professores ganharam aumento. E só. E a greve acabou depois de 21 dias. E as outras reivindicações (não ter limite de faltas e nem a obrigação de ficar pelo menos 200 dias na mesma escola, por exemplo) foram negadas (na minha opinião, corretamente) pelo Estado (algumas reivindicações são mais do que justas e necessárias, outras, nem um pouco...).

Segunda Coincidência: A Fundação CASA mudou da água para o vinho a imagem da cadeia para os menores de idade, tão manchada pela FEBEM. Porém, somente nas últimas duas semanas, foram 3 rebeliões.

Você acha que é só coincidência? Vamos a terceira e, por enquanto, última coincidência. Você lembra dos ataques do PCC? Não? Então dá uma olhadinha aqui nessa matéria, veja a data e veja quando foi a última eleição para o governo estadual... Bateu?

Você ainda acha que é coincidência?

9 comentários:

Juliana Petroni disse...

Pois é engraçado não? mas como podemos observar todas essas manobras políticas passam despercebidas, muito boa sua iniciativa de falar com clareza sobre isso.
Um grande beijo

Davi Arloy disse...

Ai Ai, não sei se já disse isso aqui mas ... eu simplesmente ignoro política. Essa "democracia" que nos obriga a votar, acaba comigo.

Abs

Susanna Martins disse...

Simplesmente não acredito em coincidências, então...
Infelizmente em todo o país isso aconte, é triste.. mas, acontece!
E pegando 'carona' na greve, só uma coisa eu digo. Tá certo que professores ganham um salário inferior ao trabalho que eles têm... mas greve?! acho um pocuo demais... Por que será que qndo recebem o aumento, fica por aquilo mesmo e acabou?!! Por que eles não exigem melhorias no ensino, nas salas de aula, educação... e tantas outras coisas?! Por que só aumento?!!
Éh... infelizmente essa é a nossa política, mas temos como mudar todo esse conceito, basta apenas querer e ir atrás!!
Adorei o texto!!
Beijoos

Pedro Junior disse...

Acho q é valido, pois por exemplo os profissionais da educação eles são pouco valorizado, mas por outro lado é perigosopois se eles "ajudam" colaboam acabei meio q já cumprido com o seu dever e sqc o povo, mas é mt compricado isso é uma questão complexa

t+
abraços

Jornalismo - Radial disse...

Eu acredito ferrenhamente que este tipo de jogada política é típico de gente sem caráter, sem respeito, sem postura profissional e sem ética.
Pq pra mim, gente que faz este tipo de coisa em detrimento de outras pessoas e simplesmente pensando em obter ganhos individuais, pq é o que na verdade acontece, não merece nossa admiração, por seu ato de pseudo-bravura.
É incrivel como as pessoas caem na lábia de meia dúzia de outras pessoas e se dizem militantes de uma causa que sequer foi averiguada. Na verdade, muitos dos que fazem greve, dizendo-se injustiçados, sequer pararam para RACIOCINAR sobre o porquê desta greve em hora tão oportuna para alguns e tão exdrúxula para outros.
São dignos de pena!

Ufa...desabafei ! rs

Bjs

Suzana

Juliana Gulka disse...

Eu vi uma pesquisa sobre o voto, onde cerca de 57% da população disse que não comapreceria se votar fosse opcional. Ou seja, quem se elegesse seria por uma parcela do povo. Isso mostra também como a população na se interessa pela verdadeira política, nos dando a impressão que não escolhe como deveria seus candidatos. Reconhecendo ou não, esse é o nosso Brasil.
Aqui na minha cidade aqueles que antes não olhavam na cara, já começaram o "lambre-lambe". Agora eu pergunto: coincidencia ou não??

João disse...

Bom, bem intrigante o tema. Eu creio que em certos casos existe coincidências. Agora nestes, não sabemos.

João
www.cobrafumante.blogspot.com

Breiller disse...

Jornalista Azarado pra vereador em 2008!

(Mentira, cara. Não se meta nesse meio promíscuo da política).

Bom, como você observou bem as coincidências, costumo observar também as incoerências.

Já viu que em época de eleição (ou o tempo todo) não existem linhas partidárias ou ideologias políticas? Já percebeu que oposição e situação se misturam numa massa homogênea? Já viu que "inimigos" políticos começam a fazer conchavos?

Enfim, a política, não só no Brasil, proporciona um sem número de contradições que às vezes fica difícil achar qualquer explicação.

Alexsandro Vasconcelos disse...

Política é um ramo muito bom de ser estudado pra quem tem um senso crítico (assim como você). Essas "coincidências" são ótimas pra desenvolver isso.

Eu adoro política, o que não gosto são dos políticos mesmo.

E acredito que não é só em sampa que acontece essas "coincidências" não. Aqui em Recife acontece muito disso em tempos de eleição também.

Abração!
Ótimo post.