quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Bondade


Essa semana algumas coisas aconteceram e acho que merecem nossa atenção. São algumas ações que me fazem crer que sim, o humano ainda pode se salvar da autodestruição, ainda pode melhorar o mundo.

Se no começo da semana, enquanto eu e minha namorada estamanos no ônibus e, sentados no degrau, observavamos um senhorzinho que teve que fazer a viagem toda de pé por que não teve UMA pessoa no ônibus que se levantasse para o idoso sentar, fiquei ainda mais perplexo com três notícias. Elas mostram que há pessoas boas no mundo, mas, infelizmente, elas não tiveram a recompensa merecida pelas suas ações.

O primeiro é o surfista Tony Villela, de 32 anos. Ele morreu afogado após salvar 4 turistas na Praia das Pitangueiras, no Guarujá, na segunda-feira, dia 15 de setembro. O corpo dele foi achado 3 dias depois do ato heróico.

O segundo é o caso de um motoqueiro. Ele estava na Marginal do Tietê, em São Paulo, e viu um motociclista caído na pista. Solidário, ele parou e foi sinalizar o local para que o colega não fosse atropelado. Após isso, ele foi socorrer o acidentado, mas, foi surpreendido: o motociclista era um garoto de 15 anos que havia roubado a moto com a qual se acidentou. Armado, ele roubou o rapaz solidário e, pouco depois, bateu em um caminhão e foi levado para um hospital. O motoqueiro gentil deverá gastar cerca de R$ 500 para consertar a moto.

Por último, também em São Paulo, a história de Fábio Carvalho, um estudante de ciências a computação. Ele voltava da faculdade junto com a namorada e uma amiga quando viu um carro com problemas parado na pista da Marginal Pinheiros. Ele parou e foi oferecer ajuda, mas, não teve tempo para tal ação: um caminhão não conseguiu frear e atropelou o rapaz, que não resistiu ao acidente e morreu. O dono do veículo quebrado, mesmo com o defeito, foi embora sem prestar socorro ao estudante.

Três pessoas que não tiveram, aqui, a recompensa merecida e um monte de ingratos, sem respeito e consideração pelo próximo, que continuam por aqui. Àqueles que acreditam em justiça divina, que eles sejam recompensados em fartura. Hoje em dia, são raras pessoas que se preocupam com os outros, ainda mais desconhecidos. São essas pessoas que me fazem crer que ainda dá para mudar o mundo para melhor, mesmo diante de tanto egoísmo.

Uma curiosidade: vejam só essa matéria. Não é um caso muito solidário, mas bem curioso, diferente...

E você, acredita que nosso judiado mundo tem solução? Você tem feito alguma coisa para melhorar nosso planeta?

9 comentários:

Su disse...

Ladrãozinho filho da puta!! Aff, desculpa o palavrão... mas saiu no impulso!!!

Hoje eu havia pensado em postar sobre educação. É, acho que respeito aos idosos é uma questão de educação mesmo, ou talvez de bom senso! Nós não seremos jovens eternamentes, infelizmente ainda não descobriram a fórmula da juventude eterna. Ontem estava no ônibus tbm, e havia uma senhora que aparentava ter seus 55, 56 anos... Jovem ainda, mas estava com aquele ar de cansada, que havia trabalhado o dia todo, sabe?! E o ônibus estava cheio, ela estava procurando um lugar para poder sentar... mas NINGUÉM, NINGUÉM mesmo, ofereceu o lugar pra ela. Vários estudantes de brincadeira, mas não teve a coragem de oferecer o lugar para ela sentar. Eu não aguentei. Levantei e pedi que ela sentasse.
E como sempre ainda tive aqles olhares de espanto e o pior um engracinho comentou que "ela quer ser amostrar"... Afff... E é estudante, viu?!
Eu simplesmente virei e falei:
"Não, eu não qro aparecer. Só estou fazendo o que eu qria que fizesse com a minha mãe ou comigo qndo eu ficar mais experiente."
É triste, mas ngm está ai com nada!! Eu acredito que ainda há pessoas que podem mudar o mundo!!
Abraços meu grande amigo!!
E desculpa pelo desabafo e pelo post no seu comentário!! rsrs
BEijooos

Juliana Petroni disse...

Bom acredito que sempre haverão pessoas boas no mundo, o problema maior é que a falta de amor dominou grande parte das massas, e ações solidárias são cada vez mais raras. Mas não vamos deixar de acreditar, não é mesmo.
Bjossssssss

Du disse...

Infelizmente a solidariedade é atitude rara em nossa sociedade... E o que dizer dessas pessoas que foram incondicionalmente solidárias e em virtude disso, se "estreparam"?
Aff...revoltante.
Sinceramente não sei o que pensar dessas coisas, só fico muito triste.

Beijo

RAFAEL BUENO disse...

grande Anderson!

pois é, bondade... Não tem como! enquanto houver notícias como as destacadas por você, sempre haverá uma ponta de esperança. Da mesma forma que tenho esperança com a minha atual profissão (Educação Física) pela minha conduta no meu trabalho e pelo contraste que s eidentifica observando outros "profissionais". Na mesma toada, também tenho esperança com minha futura profissão (Jornalismo), quando em rápidas conversas com você vejo reflexões e atitudes diferenciadas, profissionais, na acepção da palavra.

sobre o ladrão de Passo Fundo-RS, muito me impressionou também a postura da delegada ao rechaçar a hipótese de prisão do fora-da-lei, caso seja identificado.

considerar este ladrão como "esperança da humanidade" é demonstrar desconhecimento de tudo o que ocorre ao redor do umbigo. O que ele fez é obrigação! Aliás, não deveria nem cogitar roubar o carro (tá bom, estou sendo utópico)... e a postura dos pais da criança também é lamentável.

grande abraço!

Ego disse...

É realmente lamentável.Parece até q a idade nunca vai chegar para essas pessoas egoístas, que se quer, num lembra nem da mãe numa hora dessas.Não ceder o lugar para o idoso no ônibus é falta de humanidade, de amor ao próximo, porque não dizer de si mesmo.Onde vamos parar, caro colega?Mais eu acredito q ainda exista pessoas boas,em meio a esse mundo tão cheio de maldade e egoísmo!Abçs.

Paula Calloni disse...

Bom, acho que todo mundo aqui é gente legal, então, acho que devemos pensar em não desistir de sermos boas pessoas. Não adianta esperar dos outros e nem renunciar à nossa própria essência. Somos solidários e vamos continuar assim. Acredito que "alguém lá em cima" tá vendo. Beijos a todos.

Suzana Matias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suzana Matias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suzana Matias disse...

Nossa, não sei se este post me deixou mais triste ou mais esperançosa...

É horrível constatar que a falta de vergonha na cara de algumas pessoas existe e prevalece.

Este MOLEQUE que foi socorrido pelo cara e o roubou, me faz ter vergonha de ser humana! Porém, o fato de saber que ainda tem gente que tenta ajudar alguém, mesmo quando está fazendo algo tão escroto quanto roubar, me diz que sim, nem tudo está perdido.

Sabe, difícil dizer o que nós mesmos estamos fazendo pelo mundo e por todos nós, pois dizer que não jogo lixo no chão, que ajudo idosos, que deixo as pessoas passarem à minha frente nos coletivos, que paro pra auxiliar qq pessoa que precise ajuda é relativo, pois na verdade sinto que isso é minha obrigação e não um favor à humanidade. Vc me entende?

Sei lá, acho que todo bem que fizermos se voltará a nosso favor, mesmo que seja só a sensação de fazer o bem.

Parece clichê, mas eu sou adepta da frase: Fazer o bem, sem olhar a quem.


Ahhhhh, uma das coisas mais tristes de tudo isso é saber que o jornalismo se caracteriza por divulgar aquilo que é curioso e inusitado. E a julgar pelas notícias, vemos que atitudes tão simples, como ajudar alguém, deixaram de ser algo comum e o mínimo que cada um pode fazer.

Bjs e bom fds amigo.

Suzana