sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Cumúlo da ridicularidade

Não tem jeito. Quando a gente pensa que as coisas vão melhorar, que todo o esforço tem valido a pena, aparece alguma merda... Olha só o projeto importantíssimo para a cidade que foi aprovado pelos excelentíssimos, ocupadíssimos e sacaníssimos vereadores de São Paulo:

Sim. Ronaldo receberá o título de Cidadão Paulistano.

Mais uma prova da incompetência, da futilidade e do senso de ridículo dos nossos vereadores, que aprovaram esse projeto durante a madrugada dessa sexta-feira, 19/12.

Em meio a mais terrível crise financeira dos últimos tempos, em épocas de catástrofes climáticas, em meio a violência, esses inúteis, imbecis, gastam o tempo votando um projeto para dar o título de cidadão paulistano a um jogador de futebol que há muito tempo tem aparecido mais na mídia pelas polêmicas causadas pela vida conturbada do que pelas boas ações.

Nesse momento, me sinto enojado de ser paulistano. Nada contra o Ronaldo, mas pelos nossos políticos, que decidem dar o título de cidadão paulistano a uma pessoa que há pouco tempo foi protagonista de um escândalo envolvendo adultério, prostituição e orgia.

Essa é mais uma decisão ridícula tomada na calada da noite, durante a madrugada, para que todos os projetos sejam votados sem acompanhamento da população. Aliás, como sempre são. Os projetos são votados e nunca sabemos por que, quem votou a favor, quem votou contra... É tudo às escuras. Nossos políticos nunca nos prestam contas. Temos sempre que correr atrás, aturar muito desprezo e cansaço para conseguirmos algum esclarecimento.

É esse o cenário político em São Paulo, que diferente do mundo, que respira ares de renovação e esperança, continua vivendo em meio a futilidade de políticos preocupados apenas em continuar ganhando os tantos-mil reais mensalmente sem fazer quase nada que contribua para o desenvolvimento da cidade.

Mas não vamos desistir. Estou analisando bem o que vou fazer com relação a campanha do Milton Jung, "Adote um vereador", cujo objetivo é que mantenhamos contato e os olhos em algum vereador. Vou pensar direito e ver se terei tempo para perseguir meu candidato (Roberto Tripoli), pois já estou farto dessas imbecilidades e de me sentir um palhaço a cada projeto votado pelos "colarinho branco".

5 comentários:

Sabrina Mix disse...

Realmente, você disse tudo.

Onde já se viu a gente "contrata" esse povo e depois tem que ficar correndo atrás dos resultados.

Beijos e sucesso!!!

Rodrigo Yoshizumi disse...

putz, realmente, ridículo...

>.<

nem há o que comentar... ridículo mesmo!!! (mais um motivo para eu odiar política?! hahah! que palhaçada!!!)

aliás... fiz um "merchan" do seu blog novo lá no meu! hahah! merecido!! tá mto bom^^

abraço!

Priscila Pinheiro disse...

É cada Bizarrice que a gente vê... rsrs. Tem que rir pra não chorar. E, amigo, não quero te enganar não. Esse problema não é só de São Paulo... Em Juiz de Fora, por exemplo, os vereadores só propõem homenagens e nomes de ruas... Entre outras cositas mas...

Ego disse...

Certa vez assistimos uma sessão na câmara de vereadores de Fortaleza e na época o filme do Mel Gibson "Paixão de Cristo" estava no auge. Bem, os "vergonhadores" passaram uma hora só em comentários sobre esse filme enquanto servidores em greve esperavam a votação de seus planos de carreira do lado de fora até que o tempo passou deu meio dia e nada foi votado! Pense numa turma interessada! Quando assisto a TV assembléia daqui tb é só brigas, críticas uns aos outros e muito besteirol! Haja paciência para aturar esses caras! Estamos orfãos de Estado! Vc tem toda razão... Um abração dos amigos usineiros!

Carlos Henrique Leda disse...

Eis nossos ilustres políticos, sempre preocupados com o bem estar da população.

Não pude resistir a ironia. É ridículo isso, e saber que um percentual enorme dos projetos deles são irrelevantes e sem nenhum benefício. E depois ainda dizem que precisam aumentar o número de vereadores. Vai ver que é porque eles não estão dando conta de fazerem todas as besteiras que planejaram.

[]'s